Home / Vida / Manutenção / (20)20 dicas de manutenção comum que todos os automóveis precisam
PUB

(20)20 dicas de manutenção comum que todos os automóveis precisam

Para 2020 apresentamos um guia muito abrangente sobre como deve ser feita uma adequada manutenção. Reunimos 20 dicas básicas de manutenção de automóveis para ter em atenção e seguir. Embora estas dicas tenham como objetivo facilitar a sua vida como proprietário de um veículo, não podemos deixar de enfatizar a importância de ler o manual do veículo.
01 Jan. 2020
(20)20 dicas de manutenção comum que todos os automóveis precisam
PUB
Para começar com a nossa lista, analisaremos dois dos pré-requisitos mais básicos para a manutenção de veículos. 1. Inspecione o seu veículo regularmente Realizar as atividades da lista de verificações de manutenção é bastante fácil. Como já mencionámos, o manual do veículo contém toda a informação, incluindo como pode executar uma variedade de manutenções básicas ao seu veículo. Mas mais importante ainda,...
Para começar com a nossa lista, analisaremos dois dos pré-requisitos mais básicos para a manutenção de veículos.

1. Inspecione o seu veículo regularmente

Realizar as atividades da lista de verificações de manutenção é bastante fácil. Como já mencionámos, o manual do veículo contém toda a informação, incluindo como pode executar uma variedade de manutenções básicas ao seu veículo. Mas mais importante ainda, encontrará lá as indicações de quando deve executar essas inspeções.

Na medida do possível, o proprietário deve realizar a inspeção. Este é apenas um processo simples de avaliar as diferentes partes e componentes do seu veículo, para que saiba o que precisa fazer a seguir. Se a ação necessária puder ser realizada por si, estará a fazer a manutenção básica do seu veículo. Se exigir algumas ferramentas avançadas ou até mesmo um par de mãos extra, talvez seja necessário levar o veículo a um profissional.

Realizar uma inspeção básica é bastante fácil, especialmente se souber o que precisa procurar. Mais uma vez, o manual do veículo pode-lhe dar uma ideia do que procurar. Dessa forma, se algo lhe parecer errado, poderá tomar nota e solicitar a opinião de um profissional. De qualquer forma, o simples facto de ser o proprietário a fazer a manutenção do carro aumentará bastante o seu conhecimento das diferentes partes que o tornam numa máquina tão maravilhosa.

2. Aprenda o significado dos diferentes indicadores luminosos de aviso

Os carros modernos têm sensores sofisticados e sistemas de aviso que notificam quando algo está errado. Mesmo com inspeções e manutenção meticulosas, é difícil ser capaz de cobrir todas elas. É por isso que, como parte da manutenção básica do veículo, precisa aprender o significado dos diferentes indicadores das luzes de aviso que se acendem no painel de instrumentos. Aqui estão alguns deles.

Luz do motor - normalmente indica um problema nos vários componentes do motor do veículo que possuem sensores conectados e monitorizados ativamente por uma interface OBD-II. Existem mais de 4.000 códigos OBD-II que têm os seus respetivos significados. Se essa luz indicadora acender, convém usar uma ferramenta de scanner OBD2 ou deverá consultar um técnico.

Luz de serviço - esta é uma luz indicadora que normalmente informa que está perto de uma manutenção programada. Pode aparecer em várias impressões, como "serviço", "manutenção necessária" ou "mecanismo de serviço". Pode verificar no manual qual o significado exato dessa luz indicadora.

Luz de falha elétrica - Se a luz permanecer acesa mesmo após o autoteste do veículo, significa simplesmente que o sistema de carregamento elétrico do veículo tem alguns problemas que precisam ser avaliados mais detalhadamente. Na maioria das vezes, poderá ser um problema no alternador.

Luz de aviso dos travões - Existem muitas razões pelas quais está luz repentinamente se acende no painel de instrumentos. Pode ser que os travões de estacionamento estejam engatados ou que os níveis do líquido dos travões precisem ser reabastecidos. Pode significar outras coisas pelo que deverá consultar o manual.

Luz de aviso do ABS - Se esta luz se acender, é melhor levá-lo à oficina mais próxima para um diagnóstico adequado. Os sistemas de travagem anti-bloqueio mantêm veículo estável e controlável em situações de travagem súbita. Ferramentas especiais são necessárias para descobrir o problema.

Luz de aviso do líquido de arrefecimento – É fácil perceber o que esta luz significa. O motor está a sobre-aquecer. Pare o veículo, abra o capô e deixe-o arrefecer. Nunca tente abrir a tampa do radiador, pois o sistema de refrigeração é altamente pressurizado. Faça isso apenas quando o motor já tiver arrefecido.

Luz avisadora de óleo - normalmente acende se a pressão do óleo no motor estiver muito baixa. Nunca tente conduzir o veículo com esta luz de aviso acesa, pois pode danificar severamente, se não totalmente, o motor. Esta luz de aviso pode ser acionada por baixos níveis de óleo, falha da bomba de óleo ou mesmo bloqueio do filtro do óleo.

3. Verifique a pressão dos pneus

Uma das coisas que afetam o consumo de combustível é a pressão dos pneus. Também afeta o conforto e o manuseamento. No manual do veículo encontrará a pressão recomendada para o veículo. Existem também aparelhos e ferramentas simples que pode usar para verificar a pressão dos pneus. Idealmente, isso deve ser feito semanalmente. Alguns carros têm sistemas de monitorização da pressão dos pneus instalados de fábrica. Também existem aparelhos inteligentes que se conectam a dispositivos móveis que monitorizam constantemente a pressão dos pneus e enviam notificações caso um ou mais pneus precisem de ar.

Verifique a profundidade do piso: Neste aspecto particular a boa notícia é que os fabricantes de pneus já integram indicadores de desgaste para eliminar o incómodo de verificar se as ranhuras dos pneus ainda são profundas o suficiente para ajudarem a canalizar a água e manter um excelente contato com o solo, mesmo em condições extremas. Se os pneus não vêm com esses indicadores de desgaste do piso, poderá trocá-los por pneus novos. Pode parecer um investimento dispendioso, mas poderá evitar um acidente rodoviário.

4. Cruze os pneus e verifique o alinhamento

O equilíbrio e o alinhamento das rodas são aspetos importantes da manutenção básica do veículo, pois podem desempenhar um papel importante no consumo de combustível do veículo, sem mencionar a segurança na estrada. Portanto, é crucial que os pneus sejam cruzados, equilibrados e alinhados de acordo com a quilometragem indicada no manual do veículo. A regra geral é cruzá-los a cada 8.000 quilómetros, embora deva verificar no manual qual a altura exata para fazê-lo.

5. Vigie os amortecedores

As pastilhas de travão e os pneus novos estão entre as compras de componentes para automóveis mais comuns dos consumidores. Mas é importante não negligenciar outras peças de segurança críticas, incluindo amortecedores e componentes da suspensão.Os amortecedores e as peças da suspensão estão expostos ao uso e ao desgaste constante durante condições de condução diárias e estes componentes desempenham papéis importantes na ajuda a proteger a segurança dos condutores e dos seus passageiros.

Os amortecedores de um veículo devem ser inspecionados completamente a cada 20.000 quilómetros e como parte de outros serviços ao veículo, tal como a substituição dos pneus, o alinhamento e os travões. Os amortecedores vão-se desgastando gradualmente - o que pode dificultar a detecção de perda de controlo - e as unidades desgastadas podem contribuir para uma variedade de possíveis preocupações de segurança e confiabilidade, incluindo:

• Controlo reduzido da direcção. Sabia que os amortecedores gastos e outras peças da suspensão podem reduzir a precisão da direcção e a estabilidade do veículo, aumentando o risco de perda de controlo, patinagem e aquaplaning?
• A distância de travagem. Sabia que a condução com amortecedores que estão apenas 50% desgastados pode aumentar significativamente a distância de travagem em determinadas situações, tornando mais difícil fazer uma paragem de emergência? 
• Aumento do desgaste dos pneus. Sabia que os amortecedores desgastados podem afetar os pneus em contacto com a superfície de condução, causa desigual e/ou acelerado desgaste dos pneus e reduz a tracção e o controlo em determinadas situações?

Em casos severos, o aumento do impacto da estrada e a vibração causados por amortecedores muito desgastados podem afetar a durabilidade e a performance de outros componentes, incluindo peças de união da direcção, componentes de suspensão e faróis. Não é incomum, de fato, descobrir que o impacto repetido da estrada pode causar o desalinhamento dos faróis de um veículo.

6. Limpe o pó dos travões nas rodas

Embora a poeira dos travões não afete o pleno funcionamento do sistema de travagem, torna as rodas pouco desagradáveis ao olhar. A poeira dos travões é apenas a acumulação de uma variedade de materiais provenientes do rotor do travão e da própria pastilha de travão. O ferro é responsável por cerca de 92% da poeira. Os 8% restantes serão de resíduos de carbono, sujidade, pó e outras partículas que se deixadas ao sol deixarão com uma roda gravemente manchada. Como tal, é importante limpar o pó das rodas com uma esponja húmida. Também irá precisar de água fria e limpa, porque a poeira dos travões geralmente agarra-se às rodas por eletricidade estática.

Motor

7. Verifique as correias de transmissão

O motor não produz apenas energia para as rodas para que o veículo funcione. Também gera energia para que outras peças e acessórios funcionem. Esta é a função das correias de transmissão. Eles transferem energia da sua câmara para o alternador do veículo, compressor de ar condicionado, bomba de direção hidráulica, bomba de ar, bomba de água e qualquer outro dispositivo que dependa de energia mecânica. Os carros modernos usam uma única correia (também conhecido como correia serpentina) para conectar e rodar a partir da polia. Infelizmente, como essas correias geralmente são feitas de borracha ou outros polímeros, elas desgastam-se bastante com o uso normal. Com o tempo, elas perdem a sua integridade e simplesmente se degradam. Como tal, é importante verificar periodicamente estas correias para verificar se há fissuras visíveis ou qualquer alteração na sua integridade. Precisará examinar a integridade da correia de serpentina ou correia em V e a correia de distribuição (a menos que o motor seja acionado por corrente). Também precisa saber as diferenças entre as três.

A maioria dos profissionais recomenda substituir a correia serpentina a cada 64.000 quilómetros e a correia dentada a cada 96.000 quilómetros. Na verdade, não temos números para recomendar, porque sabemos que apenas o fabricante do veículo tem um suporte sólido para recomendar qual é a quilometragem ideal para substituir as correias de transmissão. Ainda assim, não recomendamos seguir cegamente essas diretrizes, pois esses números são resultados de testes em condições de laboratório, e não em aplicações do mundo real. Deixe esses números, no entanto, guiá-lo para que se já estiver próximo da quilometragem recomendada, as correias de transmissão sejam minuciosamente inspecionadas e avaliadas. Obviamente, uma abordagem melhor é inspecioná-las visualmente com mais frequência. Isso deve ajudar a reduzir os custos médios de manutenção do veículo, evitando reparações dispendiosas.

8. Verifique os níveis de óleo

O motor do veículo contém muitas peças móveis mecânicas que criam atrito à medida que roçam umas contra as outras. O atrito gera calor e isso pode levar a uma redução significativa no desempenho do motor. É por isso que minimizar, se não eliminar, o atrito dessas partes móveis é fundamental para garantir uma operação mais suave; caso contrário, sentiria barulhos ou batidas no motor e até uma redução substancial no consumo de combustível. Verificar o nível de óleo do motor deve ser parte integrante da manutenção básica do veículo. E é bem fácil, na verdade. Simplesmente localize onde está a vareta do óleo, retire-a e avalie-a. Bem, mas não é assim tão simples.

Verifique sempre o nível do óleo com o veículo parado em terreno plano. Remova a vareta do óleo e limpe-a primeiro com um pano limpo. Isso ajuda a remover o óleo que pode obscurecer os indicadores de nível na vareta, dificultando a leitura com precisão. Depois de limpa, reinsira a vareta completamente e puxe-a para fora. Agora, deve ver exatamente onde está o nível do óleo. A vareta medidora de nível normalmente possui indicadores próximos à ponta. Pode haver dois pontos ou mesmo pontos marcados por um H e um L. Em alguns veículos, a área entre esses dois pontos também é sombreada ou possui padrões para facilitar a avaliação. Verifique se o seu nível de óleo está dentro desses dois pontos.

Além disso, é fundamental observar a cor do óleo. O óleo não deve ser preto. O óleo do motor geralmente é de cor âmbar. O óleo de cor escura geralmente indica a presença de contaminantes, calor excessivo, adição de aditivos químicos ou, pior, lodo.

Quanto à frequência da troca de óleo, o manual do veículo pode indicar exatamente quando deve trocar o óleo do motor. Também existem diferentes tipos de óleos que podem variar de regular a semi-sintético a totalmente sintético. Também precisará verificar o nível de viscosidade correto para o veículo e para o ambiente onde normalmente funciona.

9. Verifique o nível do líquido de arrefecimento do motor

Todas as coisas em movimento geram calor. E enquanto houver óleo no motor para ajudar a reduzir o atrito entre as partes móveis e evitar que o motor fique excessivamente quente rapidamente, o motor também precisará de um sistema que o ajude a se livrar do calor gerado. Essa é a função do radiador e o fluido é o líquido de arrefecimento do motor. Se não houver líquido de arrefecimento no reservatório ou estiver com nível baixo, o calor do motor não será dissipado no ambiente. Isso pode levar ao sub-aquecimento do motor. Como parte da lista de verificações de manutenção do veículo, precisa verificar os níveis do líquido de arrefecimento do motor antes mesmo de começar a circular. A verificação é bastante fácil, pois a maioria dos veículos têm reservatórios de líquido de refrigeração que são de alguma forma translúcidos e com marcações de nível apropriado no painel. Mesmo sem abrir a tampa do reservatório, poderá inspecionar visualmente se está com pouco líquido ou não. A questão agora é onde encontrar o reservatório do líquido de arrefecimento do motor no veículo. A resposta é simples - leia o manual.

10. Anote o consumo de combustível

O desempenho do mecanismo é afetado por muitas coisas. E, embora existam vários fatores que podem exigir algum nível de competência técnica para avaliar, há uma coisa que pode avaliar por si mesmo – o combustível. A ideia é que um motor que funcione eficientemente consuma combustível a uma taxa regular e constante. Se trabalhar demais, queima mais combustível. Se queima mais combustível, senti-lo-á na sua carteira. Irá ao posto de combustível para reabastecer com muito mais frequência do que costumava, apesar do fato de que não haver mudança nos hábitos de condução. Isso geralmente indica que o motor está a trabalhar demais e já está a consumir mais combustível do que o necessário. É por isso que é importante estar atento ao odómetro e às leituras das viagens. Também existem alguns gadgets e aplicações que ajudam a avaliar a quilometragem.

Uma das razões mais comuns pelas quais pode ter uma mudança repentina no consumo de combustível é a pressão dos pneus. Se o pneu estiver insuflado ou não estiver alinhado corretamente, o motor precisará aumentar a sua potência para impulsionar o veículo na estrada. Adicionar peso extra ao veículo também afeta o consumo de combustível. Aceleração súbita e travagem também podem afetar negativamente o consumo de combustível.

11. Substitua o filtro de ar do motor

O funcionamento eficiente do motor depende bastante da excelente mistura de ar e combustível. E, para isso, é muito importante garantir que o ar que é aspirado para o motor do veículo não contenha detritos, partículas ou qualquer outro contaminante que possa prejudicar a operação eficiente do motor. Caso contrário, poderá deparar-se com uma má quilometragem do combustível, a potência significativamente reduzida e sons incomuns que emanam do motor. O mecanismo também pode falhar em alguns casos. É por esse motivo que o filtro de ar do motor deve ser substituído de acordo com as recomendações do fabricante do veículo.

No entanto, embora as diretrizes básicas de manutenção de automóveis determinem que siga as recomendações do fabricante do veículo, diremos que é melhor verificar o filtro de ar e avaliar cuidadosamente a sua condição e integridade. Se já estiver muito sujo, mas não cumpriu a recomendação de quilometragem para substituição pelo fabricante, é melhor substituí-lo. Observe que muitos fatores podem afetar a integridade do filtro de ar do seu motor. Por exemplo, se usa o veículo em situações de trânsito diárias, ou em longas viagens, há uma grande hipótese de que sujidade e detritos se acumulem no filtro de ar muito mais rapidamente do que se conduzir apenas em curtas distâncias ou ocasionalmente. A questão é que, embora o manual do veículo possa dar-lhe uma ideia de quando precisa substituir o filtro de ar, uma abordagem melhor é inspecionar visualmente o filtro.

Aceder o filtro de ar do motor não deve ser realmente um desafio; embora isso dependa do modelo do veículo. O manual pode mostrar como. Caso contrário, poderá sempre recorrer a um profissional.

12. Substitua as velas de ignição

Se o motor do veículo tiver uma marcha inativa bastante irregular ou falha de vez em quando, talvez seja necessário substituir as velas de ignição. Outros sintomas de uma vela de ignição com danificada podem incluir falta de aceleração, problemas para iniciar o veículo, consumo de combustível invulgarmente alto ou até picos de motor. Idealmente, precisa substituir as velas de ignição a cada 48.000 quilómetros, se for do tipo padrão de cobre. No entanto, se a vela de ignição for de irídio mais avançada, ela poderá durar até 160.000 quilómetros. Novamente, precisa verificar o manual do veículo ou mesmo a lista de verificação de manutenção para determinar quando deve substituir as velas de ignição.

Substituí-las não é difícil. Com as ferramentas corretas, pode acedê-las pressionando alguns parafusos. No entanto, se não possui essas ferramentas ou simplesmente não está confiante o suficiente sobre as suas habilidades na verificação e substituição desses plugues, a contratação de um profissional deve ser uma opção.

Combustível

13. Mantenha a classificação de octanas recomendada pelo fabricante do veículo

Existe essa noção de que combustível com octanas mais altas significa mais potência. Bem, tecnicamente, isso é verdade. Mas é preciso entender como isso acontece em primeiro lugar. Carros desportivos e carros com motores projetados para fins específicos que funcionam com taxas de compressão muito altas tendem a "esforçar-se" se usarem combustível com octanas mais baixas. Para fornecer a energia necessária para uma alta compressão, é necessário um combustível com mais octanas para ajudar a evitar esforços. Infelizmente, as pessoas rapidamente adotaram a ideia de que combustível com mais octanas significa mais potência.

Mas esqueceram-se que o motivo do combustível com mais octanas é impedir a detonação em motores de alta compressão ou simplesmente optaram ignorá-lo. Voltando ao seu veículo, se não tem a intenção de conduzi-lo como um condutor de carros de corrida, use um combustível regular, como diz o manual do veículo. Agora, se o manual indicar especificamente um combustível premium com mais octanas, então faça-o. Caso contrário, não faz sentido desperdiçar alguns euros por litro em algo que o motor do seu veículo realmente não precisa.

Carroçaria / Pintura

14. Use produtos de acabamento de qualidade superior

Ninguém quer conduzirem um veículo em ruínas, chato, enferrujado e com aparência velha. Embora na verdade não recomendemos uma lavagem completa da pintura do veículo de vez em quando, é essencial mantê-la a brilhar como nova. No entanto, a escolha dos produtos certos e acabamentos não oferece apenas a aparência quase de stand do seu carro, mas também ajuda a fornecer uma barreira protetora contra os elementos. A chave aqui é usar apenas os produtos de acabamento comprovadamente de qualidade superior.

As ceras e polimentos dos automóveis melhoraram significativamente ao longo dos anos. Agora são mais sofisticados, oferecem melhor proteção e garantem efeitos mais duradouros do que os produtos de à 10 ou 20 anos atrás. Sabemos que é mais uma vaidade, mas, considerando que os carros são um reflexo da personalidade de alguém, claramente gostamos que o nosso carro tenha uma boa aparência. Mais importante ainda, não pode estar sempre a impedir que excrementos de pássaros e frutas estraguem a pintura do carro. Se o carro não for encerado adequadamente, estas sujidades serão muito mais difíceis de remover. Com a cera, é simplesmente uma questão de limpá-los com um pedaço de pano limpo.

Uma palavra sobre excrementos de pássaros: no momento em que notar algum no seu carro, lave-o o mais rapidamente possível. Os excrementos de pássaros contém compostos químicos que podem danificar a pintura do carro e a cera facilita a remoção destes excrementos. No entanto, se os deixar bastante tempo na pintura e ao sol, corre o risco de danificar a pintura do veículo, ficando uma mancha que não poderá ser removida com produtos de limpeza convencionais.

Parte elétrica

15. Saiba como desconectar corretamente a bateria

Desconectar os terminais da bateria pode muito bem ser uma tarefa fácil. É tudo uma questão de desapertar os parafusos que mantêm os cabos presos aos terminais da bateria, certo? Infelizmente, existe uma forma adequada de fazer isso. Não é apenas desconectar o primeiro conector que conseguir alcançar.

Desconecte sempre os terminais negativos primeiro para ajudar a evitar curto-circuitos elétricos. Isso efetivamente corta o caminho de retorno da corrente elétrica. Se desconectar o terminal positivo primeiro, a corrente ainda está a mover-se ao longo do terminal negativo. Remover a extremidade negativa do conector primeiro ajudará a evitar curto-circuitos. Mesmo que a ferramenta caia nos terminais da bateria e toque em qualquer outra coisa, simplesmente não há retorno para a corrente concluir o circuito.

Agora, isso está a desconectar as baterias. Quando terminar de trabalhar em qualquer sistema elétrico do carro, precisará reconectar o terminal positivo primeiro antes do negativo. Portanto, lembre-se, se desconectar as baterias, remova o negativo primeiro antes do positivo. Ao reconectar a bateria, faça o inverso; positivo primeiro antes do negativo. Obviamente, se não for substituir a bateria, não há realmente necessidade de desconectar o terminal positivo; o terminal negativo deve ser suficiente.

16. Verifique os terminais da bateria e limpe os terminais conforme necessário

Porque a bateria está rotulada como livre de manutenção não significa que já pode economizar nessa atividade básica de manutenção de automóveis. No mínimo, deve saber onde está localizada no compartimento do motor. Em seguida, verifique os terminais da bateria quanto existirem sinais de corrosão ou acumulação de minerais. Se notar alguma sujidade, pegue numa escova de limpeza projetada especificamente para os terminais da bateria e retire a sujidade acumulada. Isso deve ajudar a prolongar a vida útil da bateria e reduzir o custo médio de manutenção do veículo. Geralmente, é uma boa ideia adquirir um testador de bateria e um acionador de arranque, por nunca se sabe quando a bateria acabará. Para isso, considere ter uma bateria sobressalente no porta-malas para qualquer eventualidade.

Luzes

17. Substitua as lâmpadas indicadoras fundidas

Estes equipamentos do veículo são muito importantes e, como tal, nunca devem ser esquecidos na lista de verificação de manutenção do veículo. As luzes indicadoras ou de presença informam outros condutores sobre a direção que pretende seguir. Dessa forma, eles também saberão o que fazer. Por exemplo, se está a sinalizar que irá mudar de direção para a esquerda, eles saberão que não devem ultrapassar e começar a desacelerar para compensar a sua redução na velocidade. O fato é que, se uma luz indicadora de direção pisca muito mais rápido do que a outra, significa que tem uma lâmpada queimada. A boa notícia é que os carros atuais vêm com módulos de iluminação que podem ser facilmente substituídos sem a necessidade de ir a uma oficina. Uma palavra de atenção, é importante usar apenas o tipo de lâmpada específica recomendada pelo fabricante do veículo. O manual do veículo pode ajudá-lo bastante nas tarefas básicas de manutenção de automóveis. Além disso, o manual também informa exatamente como aceder e substituir as luzes.

18. Não toque nas lâmpadas de vidro ao substitui-las

Sempre que precisar substituir a lâmpada do farol, toque apenas no suporte da lâmpada de metal localizado na base do dispositivo de iluminação. Como alternativa, pode usar luvas de mecânico ou, melhor ainda, luvas cirúrgicas estéreis, se realmente precisar tocar no vidro. O motivo é bastante simples: não se deve transferir óleos, sujidade, poeira que esteja na ponta dos dedos para a lâmpada, pois ela é fabricada com revestimento especializado na superfície externa da lâmpada. A introdução de partículas, óleo ou sujidade na superfície da lâmpada afeta inadvertidamente este revestimento especial. Quando acende os faróis, essa parte da lâmpada aquece muito mais rápido que o restante da lâmpada, fazendo com que ela se parta.

Outros

19. Substitua as escovas limpa vidros

A visibilidade é essencial sempre que estiver na estrada. E a janela para o mundo exterior é o pára-brisas. Mantê-lo com excelente visibilidade é parcialmente o trabalho das escovas limpa vidros. Agora, lembre-se de que estes acessórios não são exatamente muito duráveis e, portanto, tendem a se desgastar um pouco mais rápido do que outros componentes do carro. A boa notícia é que também são muito mais fáceis de substituir. Se as escovas limpa vidros já estiverem estridentes ou emitir um ruído agudo e rangido sempre que são acionada, é hora de substituí-las. Compre uma escova limpa vidros de substituição recomendada para o veículo. E enquanto substitui as escovas, faça uma limpeza completa no pára-brisas, tanto por dentro quanto por fora.

20. Substitua o filtro de ar da cabine

Pode não melhorar o desempenho geral do veículo, mas se tiver um membro da família bastante alérgico a poeira e outras partículas transportadas pelo ar, poderá substituir o filtro de ar da cabine. Esta é uma das formas mais fáceis e práticas de manter todos seguros e confortáveis dentro da cabine do veículo. A recomendação atual é substituir o filtro de ar da cabine a cada 12 meses ou a cada 32.000 quilómetros, o que ocorrer primeiro. No entanto, pode consultar o manual do veículo para obter a programação recomendada para a substituição do filtro de ar da cabine.
PUB  
PUB  
PUB