newsletter

Receba gratuitamente e em 1ª mão as notícias do aftermarket automóvel! 



ANECRA propôs soluções para ultrapassar a crise no sector automóvel

13 Maio 2009

Encontro Empresarial da Região de Vila Real.

A ANECRA - Associação Nacional das Empresas do Comércio e da Reparação Automóvel – promoveu no passado fim-de-semana o Encontro Empresarial do Sector Automóvel da Região do Douro e Trás-os-Montes subordinado ao tema genérico “Como atravessar a Crise no Sector Automóvel”.

O Encontro Empresarial da Região de Vila Real teve como grande objectivo reunir os empresários do sector automóvel desta região em redor das grandes questões que preocupam actualmente todos os agentes ligados a esta actividade.

Conclusões finais deste Encontro


Neste Encontro a ANECRA lembrou que, desde 1994, tem lutado com determinação, na defesa das Oficinas suas Associadas, contra a posição assumida por algumas Seguradoras, face à sua postura na gestão da resolução de sinistros, particularmente ao nível da responsabilidade pela Reparação. No seguimento e epílogo das reuniões havidas entre as duas entidades, mantidas desde Novembro de 2007, a ANECRA e o Grupo Caixa Seguros assinaram no passado dia 4 de Maio, um Protocolo de Colaboração que irá revolucionar a forma como as Oficinas Associadas da ANECRA e as Seguradoras do Grupo Caixa Seguros e Saúde se relacionarão entre si, identificando e promovendo as melhores práticas, traduzindo um significativo avanço face à legislação existente, com claros benefícios não só para as Oficinas associadas da ANECRA, como também para os clientes.

Referiu-se que, no primeiro quadrimestre de 2009, o volume de vendas registado pelo mercado total revela uma quebra de 40,0%, face a período homólogo de 2008, assistindo-se a uma redução generalizada em todos os segmentos de mercado, ou seja, automóveis ligeiros de passageiros com menos 40,3%, comerciais ligeiros com menos 38,6% e veículos pesados menos 42,8%.

Assim, concluiu-se que estes valores de vendas, assumem-se nos quatro primeiros meses do ano, como as maiores quebras registadas no mercado nacional, desde sempre, assistindo-se a uma acentuada degradação da já débil situação que se vive no sector automóvel, desde o ano 2000.

Desta forma, constata-se no primeiro quadrimestre de 2009, a chegada de uma crise dramática e em força no sector automóvel, em que a quebra generalizada de vendas se vai repercutir negativa e automaticamente noutras variáveis do negócio automóvel, como o Comércio de Veículos Usados, onde a Oferta excedentária se confronta com uma Procura muito reduzida e da Reparação e Manutenção Automóvel e do Após-Venda, em geral, onde o nível de subactividade é uma constante e se generaliza a todos os níveis no país.

Este estado debilitado e caótico em que se encontra o tecido automóvel em Portugal, quer ao nível do comércio de veículos novos e usados, quer, especialmente, ao nível das empresas de reparação e de manutenção automóvel, está a pôr em causa a sobrevivência da grande maioria das empresas do sector e dos respectivos postos de trabalho, constatando-se o desaparecimento diário de 2 a 3 empresas, especialmente micro, pequenas e médias empresas, gerando um elevado número de desemprego, exclusivamente por razões de natureza financeira.

Consciente das suas responsabilidades, como Pessoa Colectiva de Utilidade Pública, a ANECRA lembrou que tem levado a cabo aprofundados estudos, diagnosticando a grave situação que se vive no Sector e procurando definir e apresentar propostas, susceptíveis de ajudar a resolver muitos dos graves problemas com que Empresas e Profissionais da Área do Retalho Automóvel se confrontam.

Assim, a Direcção anunciou que preparou uma Exposição de Motivos para justificar a apresentação aos membros do Governo e aos Órgãos da Assembleia da República, afectos directa ou indirectamente ao Sector Automóvel, um conjunto de propostas consubstanciadas num diversificado leque de medidas exequíveis, a adoptar pelo Governo no Quadro das Áreas de Apoio Financeiro ao Retalho Automóvel, de Fiscalidade Automóvel e Geral, de Emprego e Formação Profissional e finalmente de Política de Combustíveis.

Há a salientar a aceitação por parte do Governo, de algumas das propostas sugeridas pela ANECRA, nomeadamente as relativas à majoração do Incentivo à Destruição de Veículos em Fim de Vida, com que se congratula, embora considere estas acções manifestamente pontuais e verdadeiramente insuficientes.

A ANECRA, lembrou ainda que continua a defender, frontalmente, que a natureza específica dos veículos automóveis, particularmente das viaturas usadas, carece de um enquadramento legal específico, em relação à concessão de Garantias. Assim, constitui entendimento desta Associação que a referida Legislação não se deveria aplicar de forma simplista e indiferenciada a todos os bens de consumo, tendo apelando ao Governo para que proceda às alterações Legislativas necessárias, tendo em vista a satisfação desta sua posição e a adequada aplicação ao Sector Automóvel.

A ANECRA - Associação Nacional das Empresas do Comércio e da Reparação Automóvel representa mais de 3.850 empresas do sector, espalhadas por todo o País e posiciona-se no "fim do percurso do sector automóvel", o que lhe permite viver os problemas do mercado com grande intensidade e proximidade.



ANECRA
Quem Somos   |   Contactos   |   Publicidade   |   MKT Empresas   |   Condições Legais